atitude

PROJETOS

O Festival das Baleias evento multidisciplinar e multisetorial tem o intuito de ajuda a reforçar a preocupação com a conservação da vida marinha e estimular o turismo. o evento, que tem característica itinerante, ocorrendo sempre no período em que as baleias jubarte migram para o litoral baiano para reprodução.

O festival propõe a união de instituições públicas e privadas, de pesquisadores, educadores, estudantes e da sociedade civil em torno do debate sobre a situação dos ecossistemas na zona costeira e marinha e da conscientização sobre a importância da realização de ações pela preservação ambiental. Mesas redondas e palestras de pesquisadores e ativistas ambientais, presentes no V Simpósio do Mar, discutem e elaboram proposta de diretrizes para uso sustentável do mar no estado da Bahia.

A nossa luta pela saúde dos oceanos trava uma batalha muito grande com o vilão da poluição no mar os Plásticos que estão em todos os lugares mais esmos do Oceano, cada dia vem aumentando a sua produção e contribuindo para a morte e infecção agora em descobertas de estudos recentes foram encontrados micro partícula de plastico em tecidos humanos.
Os países que mais produzem lixo plástico são: em primeiro lugar, os Estados Unidos, com aproximadamente 70,782 milhões de toneladas ao ano; depois a China ,com 54,740; em terceiro lugar a Índia, com 19,311 milhões. O quarto lugar, com 11,3 milhões de toneladas de plástico produzidas ao ano é do Brasil.

 Fonte – Atlas do Plástico versão digital 20-11-20

“O projeto Rede Mantas do Brasil é uma oportunidade de extensão da conscientização sobre as espécies chamadas popularmente de raias gigantes, aqui para nosso estado da Bahia e para a região nordeste. Essas espécies são ameaçadas de extinção, sendo o trabalho do projeto, com foco em sua preservação, essencial para sua sobrevivência. Além da grande contribuição para ciência que esses estudos irão gerar, com a descoberta de uma possível ocorrência de nova espécie nas nossas águas, espécie que foi encontrada no México e que está no processo de ser descrita”, explica Letícia Rizzetto, bióloga do REDEMAR.
Recentemente uma raia-manta foi cruelmente pescada e morta no Sul da Bahia. O animal foi rebocado por um barco e depois puxado pelos pescadores até a areia, por cordas amarradas em suas nadadeiras cefálicas. Tratava-se de um macho da espécie M. birostris, a maior raia do mundo, classificada no estágio “vulnerável à extinção” na lista vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais). “Muitas mantas estão sendo pescadas por lá. Precisamos não apenas mapear a região e coletar dados dos animais, mas educar a população, conscientizar os pescadores. Uma raia-manta vale muito mais viva do que morta”, acredita Paula Romano.

SEJA VOLUNTÁRIO

Precisamos de novos voluntários que nos ajude a transformar o futuro de todos.

Preencha o formulário ao lado, que entraremos em contato com você.

Olá!

SEJA BEM-VINDO!

Open chat
Precisa de ajuda?